Urucum

Palavra de Chef

Descrição

Com nome científico de Bixa orellana, o urucum ou urucu é a semente de uma pequena arvore, que leva o mesmo nome, nativa das regiões tropicais da América do Sul, cujas sementes vermelho-alaranjadas são conhecidas desde a era pré-colombiana, sendo usadas para tingir tecidos, fazer pinturas corporais e como corante de alimentos. 

Os principais produtores hoje são o Brasil e as Filipinas, embora também seja cultivado na América Central, Caribe e Ásia. 

No Brasil, o pó do urucum já processado é chamado de Colorau e é bastante utilizado na cozinha para acrescentar cor aos alimentos. A indústria de cosméticos utiliza-o para fabricar bronzeadores solares, devido à sua bela coloração avermelhada e por ser facilmente absorvido pela pele.

Suas sementes tem um fraco aroma floral, lembrando a menta e um sabor delicado e terroso, levemente apimentado e com um toque amargo, conferindo um agradável sabor terroso aos alimentos quando usado em quantidades bem maiores do que as necessárias apenas para colorir. 

Muito duras e difíceis de serem moídas, quando inteiras podem ser usadas como corantes, bastando deixa-las de molho em um pouco de agua fervente por uma hora, até que a agua adquira uma coloração laranja escuro, usando então este liquido colorido em caldos e cozidos.  Outra forma de utilização, muito usada no Caribe, é fritar as sementes na gordura tornando-a laranja e guardá-la em potes, para usar posteriormente nos pratos. 

Na Jamaica é muito usada em pratos típicos com peixes, refogando-as com cebola e pimenta malagueta. Nas Filipinas são moídas e adicionadas às sopas e cozidos e é um ingrediente essencial no Pipián, um prato típico que leva porco e frango. 

No Peru é usado em marinadas de carne de porco. Na Venezuela é moída junto com alho, páprica e ervas, para se fazer um condimento chamado aliño criollo. 

No México é ingrediente da pasta de achiote, que é combinada com pimenta do reino em grãos, cravo da índia, cominho, sementes de coentro, orégano seco, alho e suco de laranja azeda ou vinagra de vinho, formando o Recado Rojo, que é o tempero base para o prato típico da região, o Pollo Pibill, um  frango marinado e cozido nas folhas de bananeira, em forno de chão.

Também é usado para colorir a massa de tamales, um prato a base de milho cozido, enrolado na palha.

Ao comprar as sementes inteiras, certifique-se que estejam com a cor vermelho ferrugem e evite as acastanhadas ou partidas. Devem ser guardadas por até três anos em potes herméticos. 

Fica muito bom em pratos à base de carnes de porco, aves e bovina, em pratos com ovos, peixes, quiabo, cebola, legumes, arroz, abobora, batata doce, tomates e com a maioria dos legumes e verduras. 

Combina muito bem com pimenta da Jamaica, pimentas em geral, suco de limão, cravo da índia, cominho, erva de santa maria, alho, orégano, páprica e amendoim. 

Além de ser usado com especiaria, o urucum possui ainda propriedades medicinais. 

Suas semente possuem Cálcio, Ferro, Fósforo, Vitamina A, Vitaminas B2 e B3, Vitamina C, Aminoácidos e Beta-caroteno. Contém fitoquímicos, como cianidina, ácido elágico, ácido salicílico, saponinas e taninos, que são compostos encontrados naturalmente em várias plantas que ajudam a prevenir e a tratar doenças. 

A semente de urucum e suas folhas têm propriedades diuréticas, antibacterianas e adstringentes. Acredita-se ser capaz de promover a saúde do sistema digestivo, aliviando a constipação, a indigestão, a azia e o desconforto estomacal causados pelo consumo de alguns alimentos. 

Suas sementes são usadas para ajudar a tonificar, equilibrar e fortalecer o fígado e reduzir a sua inflamação no caso de hepatites, além de ajudar a diminuir os níveis de colesterol total, reduzir a pressão arterial e tratar edema. 

Com suas propriedades expectorantes, ajuda a limpar o muco dos pulmões, sendo benéficas para distúrbios relacionados com mucosas, tais como asma, bronquite e tosse. 

Há relatos de que também ajuda na perda de peso, no controle da glicemia e no aumento da insulina, porém essas propriedades não foram comprovadas cientificamente, assim como o fato e ser usado como afrodisíaco em alguns países.

Gostou? E que tal darmos uma colorida em seus pratos hoje? 



Palavra de Chef
palavradechef.com.br © Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento Bitpix Imagem responsiva