Pitanga

Palavra de Chef

Descrição

Há alguns anos eu morei em um sitio delicioso, repleto de árvores muito antigas, dos mais variados tipos. Havia jabuticabeiras, abacateiros, jambolão, manga, amora, grumixama, Cambuci, ameixa, carambola...enfim. Era um paraíso frutífero. 

No portão de entrada do sitio existia uma arvore não muito alta, mas antiga e muito produtiva: uma pitangueira. Quando chegava o inverno, ela nos brindava com inúmeras pequenas flores brancas, com aroma muito doce e penetrante, que atraia centenas de abelhinhas. Eu adorava ficar observando-as trabalhar. 

Ao chegar a primavera, surgiam aquelas frutinhas lindas, que lembravam uma miniatura da abobora da Cinderela. Tão preciosas e mimosas, que se não fossem frutas, poderiam muito bem servir de brincos.  Ao sair de casa pela manhã para irmos trabalhar, parávamos o carro ao lado do portão e catávamos um grande punhado das mais vermelhinhas, para comermos enquanto pegávamos a estrada. Prazeres que somente morar em um sitio pode nos proporcionar e que gera uma saudade gostosa de coisas tão simples.

Por isso resolvi homenagear esta frutinha neste mês de setembro, início da primavera, com nosso artigo sobre Comidas Saudáveis. 

Eugenia uniflora é seu nome cientifico. Para nós, simplesmente Pitanga. A palavra “pitanga” vem do termo tupi antigo ybápytanga, que significa “fruto avermelhado”. “Pitangueira” é uma palavra híbrida, formada pelo termo “pitanga” e pelo sufixo “eira”, que significa “coleção, quantidade, relação, posse”. 

Bolinhas globosas, carnudas, que nascem verdinhas e aos poucos adquirem coloração vermelha intensa enquanto amadurecem e adquirem sua doçura, são muito frágeis, não sendo comercializadas pois se machucam facilmente. Sorte de quem tem um pé em casa, ou que encontra uma arvore frondosa em seu caminho na cidade.

Nativa da Mata Atlântica brasileira, é encontrada desde Minas Gerais até o Rio Grande do Sul, em regiões de clima subtropical. Medianamente rústica, de porte pequeno a médio, chega a 2 ou 4 metros de altura, mas pode alcançar, em ótimas condições de clima e de solo, acima de 6 metros. 

Cultivada tradicionalmente em quintais domésticos, seu plantio é feito simplesmente pela colocação de um caroço de pitanga no solo ou pelo transplante de uma muda. Se dá bem em quase todo tipo de solo, incluindo terrenos arenosos junto às praias e terrenos secos. É muito usada como árvore ornamental em áreas urbanas, e na recuperação de áreas degradadas devido sua facilidade de pega. 

Mas além de deliciosas, as pitangas também são saudáveis! Ricas em Vitaminas A, C e complexo B, possuem ainda boas quantidades de Cálcio, Ferro, Fósforo e Potássio. É um poderoso antioxidante.

Em sua composição, estão presentes ainda antocianinas e fenóis, substâncias capazes de prevenir doenças degenerativas e atuantes na proteção das moléculas de DNA contra mutações que podem levar ao câncer.

 O licopeno, substância responsável pela cor vermelha da fruta, é outro antioxidante presente na pitanga que é eficaz no combate a várias doenças.

O seu poder antioxidante ajuda também a retardar os sinais do envelhecimento precoce, atuando contra a ação dos radicais livres.

Diurética, seu suco é uma ótima bebida para tomar enquanto se faz dieta, já que tem poucas calorias.

Suas folhas são usadas em chás para o tratamento de febre, hipertensão e doenças estomacais além de terem capacidade anti-inflamatória, laxativa e calmante natural.

O chá de pitanga é indicado para doenças do fígado, diarreia, cólica menstrual, ajuda a controlar diabetes, colesterol e reumatismo. Pode ser utilizado no tratamento de asma, bronquite e dores de garganta e como provoca um efeito relaxante, pode ser capaz de ajudar as pessoas que querem emagrecer, pois diminuem a ansiedade e a compulsão por alimentos. 

Que mais posso dizer sobre essa frutinha tão linda?

 

Dica nossa: plante uma pitangueira em sua casa ou em um vaso grande na sua sacada. 

 



Palavra de Chef
palavradechef.com.br © Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento Bitpix Imagem responsiva