Pinhão

Palavra de Chef

Descrição

Época de Natal, de comer guloseimas, gordices que não comemos o ano todo. Mesas enfeitadas, decoração vermelhada, dourada, velas e .... pinhas secas! 

Tradicional na época do inverno, no Brasil vemos as prateleiras cheias delas e adoramos assa-las nas fogueiras, no meio do ano, na época das festas juninas. Mas porque enfeitar nossas mesas de Natal com elas? Pelo mesmo motivo que colocamos pinheiros com neve artificial em nossas salas, comemos comidas gordurosas, sementes e castanhas altamente calóricas, e papai Noel usa roupa de frio: comemoramos o Natal segundo as tradições europeias e do hemisfério norte, onde é inverno! 

Então vamos falar um pouco dessa delicia, o pinhão, nossa comidinha saudável desta edição. 

O pinhão se forma dentro da pinha, que é fechada. Com o tempo ela vai se abrindo e liberando as sementes, que são os pinhões. Como eles tem uma espécie de asinha, ao se descolarem das pinhas são levados pelo vento, para assim processarem o crescimento de um novo pinheiro.

Nos meses de maio a junho no hemisfério sul e na época de Natal no hemisfério norte, as pinhas estouram ao sol do meio dia, devido a dilatação pelo calor, após uma manhã gelada. Com o estouro, os pinhões se espalham até a 50 metros de distância da arvore mãe. 

O pinhão mede de 5 a 8 cm e tem uma casca dura que recobre uma massa compacta altamente energética, muito apreciada pelos esquilos, serelepes e aves. Essa é a semente propriamente dita, extremamente saborosa quando cozida. 

No sul do Brasil, o pinhão é uma comida típica, assado ou cozido e em vários pratos, como a paçoca e outros doces. São tradicionais em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul. Outros pratos, como frango ensopado, sopas e cordeiros ao molho de pinhão, são iguarias do Paraná. Existem até mesmo diversas “festas do pinhão”,  que se realizam em uma boa parcela das cidades do interior do estado, onde há grande ocorrência de araucárias.

Além de ser utilizado como ingrediente em alguns pratos, o pinhão pode ser consumido de forma isolada, assado ou cozido. 

Rico em fibras, carboidratos complexos, proteínas e minerais como cobre, ferro, zinco e fósforo, é uma fantástica fonte de saude. Pinhões também contêm magnésio, que ajuda a proteger de cãibras musculares.

Na chapa ou cozidos, são uma boa opção para lanches e antes da prática de atividades físicas. Ao  contrário de alguns alimentos, que ao serem cozidos perdem propriedades, o pinhão ganha atributos ao passar pelo processo de cocção. 

Posui a maior quantidade de proteínas encontrada em qualquer castanha e são a única fonte de ácido pinoleico, uma substancia que ajuda a estimular hormônios inibidores de apetite ! Um punhado de pinhões têm ácido pinoleico suficiente para estimular o intestino a produzir um hormônio que da ordens para o cérebro desligar o “modo fome”. Assim ele dá aquela sensação de estômago cheio, o que é perfeito para os que estão querendo fazer dieta.

Os pinhões têm altas quantidades de antioxidantes, que ajudam a proteger as células dos danos causados pelos radicais livres, prevenindo doenças ligadas ao envelhecimento. 

Do pinhão é extraído um óleo muito famoso, por seu sabor suave de noz. No sudoeste da América, exsite um café especial conhecido como “Pinon”, que é feito de pinhões, com um profundo sabor de noz. O pinhão é regularmente incluído em receitas de peixes, receitas vegetarianas e pratos de carne, como  fonte de fibra dietética.

Os pinhões são as únicas nozes com maior concentração de ácido oléico, que é uma gordura mono-saturada que ajuda o fígado a eliminar os triglicerídes. Eles são ótimos para o seu coração, pois contêm as mesmas gorduras mono-saturadas que o azeite, ajudando a reduzir o colesterol e a proteger as artérias, impedindo assim ataques cardíacos.

Bom, agora você ja sabe porque comer pinhões, mesmo que só os encontre durante a epoca das festas juninas... mas pode abusar deles nos enfeites de Natal! 

 



Palavra de Chef
palavradechef.com.br © Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento Bitpix Imagem responsiva